Skip to content

outros

ondas
enquadramento de fotos

Enquadramento de fotos: 6 dicas para fotos perfeitas!

26 de janeiro de 2022

Você é do clube que ama eternizar momentos a cada novo passeio, viagem, saída com os amigos, encontro familiar ou experiência diferente na rotina? Então, certamente, já notou que nem toda fotografia fica daquele jeitinho que a gente imagina ou deseja, não é mesmo? Isso se deve a um motivo em especial: o enquadramento de fotos.

Afinal, esse termo, que pode parecer um pouco estranho em um primeiro momento, tem a ver com a composição da imagem. Algo que envolve não só as pessoas, os objetos e/ou os cenários mostrados nela, mas também, a relação, a proporção e a integração entre eles.

Por isso é tão importante redobrar a atenção quanto a esse pontos para que os seus registros passem a mensagem que você deseja e, de quebra, sejam cheios de estilo, personalidade e apelo estético. Pensando em ajudar com essa questão, trouxemos algumas dicas que vão deixar você craque em enquadramento de fotos. Vamos lá!

1. Defina um elemento protagonista na imagem

O primeiro macete para um bom enquadramento de fotos é definir um elemento protagonista nelas. É que, ao fazer isso, todas aquelas ideias mais abstratas sobre como deve ficar o resultado final das imagens conseguem, enfim, se tornar mais concretas.

A partir do elemento protagonista — que não precisa necessariamente ser uma pessoa, mas sim, qualquer coisa que você deseje em destaque —, é possível montar todo o cenário em volta dele, e delimitar o que vai ser registrado pela sua câmera instantânea.

Por exemplo, o que vai estar como background, a posição dele (centralizada, em uma das laterais, no fundo ou no topo), com o que ele vai interagir, qual tipo de pose ou apresentação ele deve fazer/ter etc.

2. Enquadre pessoas com elementos naturais

A segunda dica é enquadrar as pessoas com os elementos naturais presentes no ambiente, como pedras, troncos, corredores de água, árvores, flores, frutas etc. Isso é muito útil para proporcionar a sensação de integração entre os elementos da foto, e também para aumentar as alternativas de pose para as pessoas — o que é excelente para quem costuma ficar tímido em frente as lentes, sabe?

Afinal de contas, haverá algo ali para rodeá-las. Coisas nas quais elas podem se sentar, se escorar, se apoiar, se debruçar, se deitar….. enfim. Inúmeras possibilidades para arrasar! Essa sugestão também vale para espaços fechados, em que o verde é artificial, já que cada vez mais há réplicas de plantas bem fiéis.

Outra opção é você aproveitar o modo selfie “close-ups nítidas” da sua câmera. Isso porque nele dá para fotografar com até 30 cm de distância do alvo. Lembrando que existe um ligeiro desvio entre o que é enquadrado no visor e a foto durante os close-ups, viu?

Por isso, aqui vai uma sugestão extra: aponte apenas um pouco acima e para a direita do seu tema/assunto fotográfico para obter melhores resultados.

3. Utilize a regra dos terços antes de fotografar

A terceira dica é utilizar a regra dos terços antes de fotografar. Ela funciona da seguinte forma: você divide a imagem que vai registrar em um conjunto de três linhas com três colunas, formando, assim, nove quadrados simétricos.

Esse recurso é muito útil para que você consiga visualizar de maneira mais clara como ficará o registro (físico ou virtual) da foto e, assim, identificar precocemente possíveis problemas que podem aparecer. É o caso de muitas pessoas concentradas em uma única área da fotografia, enquanto outras estão vazias, o que causa um desequilíbrio no aproveitamento do espaço.

Outro exemplo comum é quando você está em ambientes ao ar livre com rio, lagoa ou mar, por exemplo, e fotografa a região como pano de fundo. Sem o uso da regra dos terços, há uma grande chance de a linha do horizonte não aparecer reta, o que causa a impressão de que os elementos da foto estão tortos ou mal posicionados.

4. Faça um enquadramento dentro de outro enquadramento

Nesse caso, além do que foi dito, você usa a regra dos três terços para centralizar duas ou mais coisas que merecem protagonismo, sem que elas precisem disputar o mesmo espaço. Um exemplo que ilustra bem isso é quando você faz uma selfie.

Naturalmente, você é o elemento protagonista nesse caso. Porém, vamos imaginar que você esteja em um superdesfile de moda que acontece na sua cidade e que, em uma mesma imagem, queira registrar a si mesmo e a passarela com os modelos.

Para isso, basta pegar uma porção dos três quartos e dedicar exclusivamente ao desfile. Já nos demais quadrados, por outro lado, você será o foco.

5. Procure e estabeleça múltiplas camadas

Se você quer mandar ver nas fotos, foque procurar e estabelecer múltiplas camadas para elas. Por exemplo, uma foto na sala de embarque de um aeroporto, enquanto você espera a sua viagem iniciar.

Em um cenário assim, você pode registrar uma parte dos passageiros ansiosos sentados nos bancos (primeira camada), enquanto outros estão cheios de expectativa, com as malas na fila, prontos para ir ao avião (segunda camada). Já mais a fundo, por sua vez, é possível capturar aeronaves decolando e aterrissando (terceira camada).

Esse tipo de composição ajuda não só a deixar a imagem mais impactante visualmente, mas também, torná-la mais informativa e, até mesmo, com uma narrativa que ajude a contar as suas experiências pessoais.

6. Tenha cuidado com os cortes dos retratos

Por último, mas não menos relevante, tenha cuidado com os cortes que você faz nos seus retratos depois que eles já estão feitos. Isso acontece quando você quer tirar algo que foi capturado na foto e não deveria estar ali, quer tornar mais visível alguém que está em um plano de fundo ou quer centralizar as pessoas na imagem.

Essa pode parecer uma boa e rápida solução, a princípio, mas a verdade é que, ao fazer isso, há grandes chances de partes do cenário fotografado acabarem descartadas, tornando-os incompletos. Por exemplo, alguém que fica “sem braço ou perna”, uma construção que se torna “desconfigurada” ou um objeto que passa a ser “irreconhecível”.

Não é que se deva evitar os cortes. O segredo é recorrer a essa estratégia apenas nos casos em que a composição da imagem não é prejudicada. Do contrário, o seu registro pode, até mesmo, perder a essência que você quis transmitir desde o início — e isso, sem dúvidas, é algo que você não deseja!

Como você viu, o enquadramento de fotos não se trata uma técnica ou uma habilidade complexa e restrita aos profissionais da fotografia. Ao contrário, tem a ver com a sua capacidade de atenção aos detalhes, ao protagonismo que eles levam e à harmonia entre eles a cada novo registro. Por isso, comece a praticar nossas dicas para ficar com um olhar mais apurado e ter imagens cada vez mais memoráveis!

Curtiu nossos macetes de enquadramento de fotos? Comece a seguir a gente no Facebook, Instagram e YouTube. Assim, você fica por dentro de muitas outras dicas para caprichar na hora de fotografar!

Tags TAGS:

E aí, gostou? Conta pra gente!





relacionadas

Lamento, não encontramos nenhum post. Tente uma pesquisa diferente.

Saiba onde comprar

Saiba onde comprar

Scroll To Top